Uma ABIN só para mim, ou a lagartixa e o jacaré, por Victor Leandro

22/12/2020

Já se disse outras vezes aqui. Não é que Bolsonaro seja esperto e não queira virar bolsa. Nem pode. Seu porte político está muito mais para lagartixa. Mas, deixemos os bichos de lado por enquanto. Pouco fazem eles caso das coisas humanas.

O que resta de estranho é a passividade. Ficou revelado não só o aparelhamento - o qual, normalmente, indica apropriação de uma instituição por outra, quase sempre um partido - como também e sobretudo o uso pessoal do chamado serviço de inteligência, a fim de salvar a pele do filho dileto. Entretanto, afora um grito ou outro dos contendores habituais, nada de alarde. Diante de tantas atrocidades maiores, esse parece ser um peixe pequeno.

E cá voltamos nós para os bichos. Sim, o suposto presidente tratou de répteis, e fez questão de desqualificar a vacina. Para alguns, uma estratégia para mudar de assunto. Mas como? Que vantagem há em ir da corrupção ao descaso para com a vida?

Verdade é que ele confunde, e sua virtude novamente é isso. São tantos alvos que a oposição nem sabe mais onde mirar. Como se fala por aí, em rio que tem piranha, jacaré nada de costas. Sabe-se lá o que queira dizer isso.