Um poema nostálgico, por Luana Aguiar

16/02/2021

o que fica do passado

não é a fotografia
colorida, estática,
fingimento imutável.


não é o bilhete de amor
mentiroso e de tinta
borrada.


é o chamado da avó,
o cheiro do bolo de macaxeira,
e o canto do galo pela manhã.


é fechar os olhos para ouvir
os latidos nos quintais,
a rede à noite a balançar
e ranger a parede, a madeira,

o tempo.