Ricordatevi della piccola fanciulla, por Sabina Morand - Tradução Anne Caroline

04/11/2020

Recordem-se da pequena menina de olhos

De jade

Que em uma noite de primavera

Caiu como se estivesse no outono

Rasgada por um vento de virilidade

A menina com olhos de jade

Caiu na realidade negra

E aceitou a normalidade

Apenas para esquecer os sonhos

Recordem-se da menina dos

Olhos de jade

Era crescida em um verão de

Morte

e agora morta sem lua

recordem-se disso para vossa vingança


A poesia acima, escrita pela poetisa italiana sabina morandi, invoca a dor e angústia (que desaguam em revolta) da história da menina argentina de 11 anos abusada pelo avô e submetida a um parto cesáreo de 24 semanas de gestação após duas tentativas de suicídio. Sabina clama em sua lírica para nossa memória. No dia de hoje, o poema novamente clama para que não nos esquecemos, dessa vez por mariana ferrer e tantas outras marianas. Hoje ela é a menina dos olhos de jade. Hoje todas nos somos meninas de olhos de jade.