Poemas de Aprendiz - PENSAMENTOS DE UM POETA LOUCO NA PANDEMIA, por Gabriel Rocha, Guilherme Alves Teixeira, Vitor Gustavo e Lucas figueiredo

04/08/2020

Que dor é essa que sinto no peito

Cada vez dói mais, ele parece está aberto.

Incompleto me sinto sem ninguém por perto.

Será que existe remédio que surte efeito?


Vê muitos brincarem com a morte, mas ela não fez nada...

já outros que nem brincaram, sentiram seu doce toque...

O destino mais incerto, são daqueles que pensam no futuro,

Pois eles nunca imaginam a morte vir para perto.


Queria alertar a todos que a vida não é justa.

Muitos não têm o que comer, enquanto, outros têm.

Muitos não têm trabalho, enquanto, outros têm.

Mas, a morte é certa e igual para a todos.


Só um louco como eu, busca igualdade.

Contudo, como louco tenho que fazer meus sonhos acontecerem,

Mesmo que eu não consiga, minha ideia será imortal.

Dentro desse poema sobre esse mundo louco.