Poemas de Aprendiz - Crise, por Alice Luiza Coutinho; Brena dos Santos; Carlos Henrique Guimarães; Érika Lima; Rayro Alencar

18/05/2020

Reflexão poética sobre uma das mais agudas crises cíclicas do capital. Criada pelos estudantes Alice Luiza Coutinho, Brena dos Santos, Carlos Henrique Guimarães, Érika Lima e Rayro Alencar.


Em 29

A bolsa cai longe daqui

Mas a América não foi

A única a falir.

O acordo se desfaz

Café com leite não há paz

Então lutem, lutem.

Em ano trinta

A votação não ocorre bem

Fraudadas eleições

E muito mais além.

Getúlio indignou

Revolução iniciou

Então, lutou

E implantou seu governo.

E assim venceu, venceu.

Venceu a revolução!

Surge a Era Vargas

Suspende a carta magna

Regime provisório.

É o primeiro passo.

Centraliza,

Moderniza,

Centraliza,

Nacionaliza.

Pressão Paulista

Nunca deixa de existir

"Lutamos por papeis

Que faltam ressurgir".

Serão derrotados

Mas não desamparados

É novo Período, constituinte.

A lei maior

De novo, torna a contemplar

O voto

O trabalhismo e o popular.

Fascismo, comunismo

Assombram o pais

Mas, é mito, esse tão plano...

Surge a Ditadura

É o novo Estado.

Então, crie, crie...

Fábricas e empresas estatais.

Na 2º Guerra, o Brasil entrou

Autoritarismo, não funcionou.

E falhou, falhou

O povo não aguentou

Comida estava em falta.

O estado acabou...