Poemas de Aprendiz - Acervo de espuma, por Antônio Luís Machado Crespo Filho

01/05/2020

Cumprindo sua tarefa de democratizar o dizer literário, o Segunda Via abre a seção Poemas de Aprendiz, cujo objetivo é divulgar trabalhos de jovens poetas estudantes. Como estreia, trazemos a obra Acervo de Espuma, do autor Antônio Luis Machado Crespo Filho, aluno do segundo ano do Ensino Médio da FMM, que realiza uma reflexão altamente metafórica do momento por que passamos. Boa leitura.


Acervo de Espuma

A peste veste a coroa

E La Gioconda sente falta

De seus pupilos e fãs

Em montes abandonados nas valas

Eu vejo apenas bolhas diante de mim

Nada mais que isso

Bolhas que me encantam

E bolhas que me ardem os olhos

A dançar em sua sintonia

Numa trilha de espuma sem fim

Pelos anjos curandeiros exaustos

Daí surgem das bolhas os aplausos

E das imobilizadas cidades

Assim renasce das cinzas

Como ave de fogo a pairar em pira

Com seus elefantes nas escápulas

A mais forte e humana comunidade

Assim a mazela esbanja-se de seu trono

Banhado em ouro e ganância

Mas o final há de almejar

Porque a coroa se quebrará

O trono tornará-se latrina

E a anarquia no reino já começou

E assim a caixa de Pandora se abriu

Levando o presente às mãos de Hesíodo e Érebo

Mas o futuro é uma agraciada dádiva

E com a esperança restante da caixa

As cerejeiras reflorirão para esse momento

E que quetzais acompanhem com o vento

Para ressurgir uma humanidade

Assim, mais humanitária