Poema: Não é Dom, por Miller Brito

27/05/2020

Não é dom*

Não é um ser que brota ao relento
Nem tampouco habita na conformidade
É a criatura em sua busca revoltante
Rasgando as aflições para criar
É tornar-se um reflexo que foi refletido
Morrendo a criatura, nascendo criador.


Delas ele se alimenta, sua alma sustenta
Um caçador do conhecimento
Não é dom, nunca foi, nunca será
É vencer o lamaçal da ignorância
Molhar-se com a necessária chuva ácida.


É viver submerso em rios de amargura
Contrato perpétuo com a leitura
Na brevidade da existência
Permanecer na eternidade
Ser escritor.


*Poema originalmente publicado no blog Poeta das Amarguras. E pode ser acessado em: 

https://poetadasamarguras.blogspot.com/2020/05/nao-e-dom.html?m=1