Poema: Aceitação, por Danielly Costa

02/10/2020

A ânsia do meu interior

Não pode ser dominada.

Esse desejo de libertação

A cada dia chora por uma

Luz da liberdade.


Os poetas da 2º geração

Do romantismo acreditavam

Que todo sofrimento acabaria

Com a morte. É assim que o meu

Eu interior palpita por liberdade.


Mas, essa tal de liberdade

Não depende de momentos

De conversa e nem de discussões

Psiquiátricas que o discurso de

Sigmund Freud discursa em sua

Teoria. É uma dor que necessito liberar.


Eu vejo

No fundo do poço

Um amanhã que pode me libertar...

Eu vejo

Que posso sair da escuridão...

No amanhecer sem exatidão

Mas, o que preciso não é somente

Compaixão

O que preciso é aceitação.