O neopolítico distópico: processos sociodigitais e a escalada conservadora, por Mauricio Braga e Victor Leandro

05/06/2020

Nos anos mais recentes houve um deslocamento do debate político outrora circunscrito aos grandes veículos midiáticos e às ações praticadas corpo a corpo, para o ambiente das redes digitais. Com isso, constitui-se um novo cenário para esse tipo de discussão, o qual, embora tenha sido assimilado inicialmente com otimismo, desembocou para a organização maciça de iniciativas repressoras. O presente estudo visa abordar os aspectos conceituais estruturantes desses movimentos, bem como analisar de que maneira tais fenômenos atingem em cheio a cena pública brasileira, marcada por um forte predomínio comunicacional das frentes conservadoras, que, amparadas por uma base virtual falsamente democrática, promoveram a ascensão da extrema direita a patamares antes improváveis pelas vias eletivas.


Para acessar o artigo completo, acesse aqui: