Democracia ou golpe?, por Victor Leandro

20/04/2020

Os eventos de domingo marcaram mais um passo no avanço das tentativas de golpe no país. Como era de se esperar, diante da pandemia, somente os mais radicais foram às ruas, deixando clara a natureza das manifestações pela defesa do retorno à ditadura. Como corolário, registrou-se a presença do suposto presidente, que, sem nenhuma medida, mostrou de novo seu interesse de endossar e levar adiante o naufrágio das instituições e a volta do AI-5.

A estratégia adotada guarda muitas proximidades com o grupo que a lidera. Não há o refinamento próprio desse tipo de ação, com articulações complexas envolvendo a alta burguesia e as figuras públicas de comando. Também não existem táticas mais rebuscadas de sedução no discurso ao grande público. Nos palanques, é tão somente a violência irracional que opera como força motriz. De nenhuma forma, é uma conspiração que lembra a astúcia de ditadores passados. Trata-se, assim, de uma ação tipicamente bolsonariana, ou seja, de uma iniciativa tosca e grosseira, um golpe rude.

Mas, o que foi feito da democracia? Engana-se quem pensa que ela está ameaçada. Desde 2016, ela já havia desaparecido das fileiras mais destacadas do país. Na verdade, o que há no momento talvez seja uma oportunidade sem igual de retomá-la, no que deveriam atuar em conjunto todos os agentes que a prezam minimamente.

Dessa forma, o cardápio está posto na mesa. Democracia ou golpe? É a decisão de agora que determinará o que vai ser servido. Porém, é bom que nos apressemos, ou os donos da casa nos prepararão o que quiserem. Nesse caso, como de costume, serão os pobres a guardarem o lixo de um jantar infame.