Apresentação da Filosofia, por Victor Leandro

05/06/2020

Talvez seja indispensável, na formação de um verdadeiro filósofo, ter passado alguma vez pelos estágios em que permanecem, em que têm de permanecer os seus servidores, os trabalhadores filosóficos; talvez ele próprio tenha que ter sido crítico, cético, dogmático e historiador, e além disso poeta, colecionador, viajante, decifrador de enigmas, moralista, vidente, "livre-pensador" e praticamente tudo, para cruzar todo o âmbito dos valores e sentimentos de valor humanos e poder observá-los com muitos olhos e consciências, desde a altura até a distância, da profundeza à altura, de um canto qualquer à amplidão. Mas tudo isso são apenas precondições de sua tarefa: ela mesma requer algo mais - ela exige que ele crie valores.

Friedrich Nietzsche

Parece estranho, no mínimo desnecessário, que, após uma trajetória educativa prolongada, ainda seja preciso tratar acerca do que é a filosofia, qual o seu interesse e fundamento. Por certo, os que a debatem dentro do plano da linguagem, quando o fazem, já têm bem assumida a noção do que ela pode realizar, de qual o seu campo investigativo, suas linhas de análise. Contudo, por mais que as cartas estejam postas na mesa, não chega a ser inaceitável pensar que alguma coisa tenha ficado inacabada, que algum caminho possa ter recantos pouco explorados, os quais valem por esse motivo serem revistos, de modo que toda introdução, toda reentrada na filosofia, sirva como uma maneira de ampliar o percurso, de produzir uma forma mais variada de compreensão de suas proposituras.


Continue a leitura após o download: