Amazonas freak show - impolíticas do novo, por Victor Leandro

01/07/2020

Tudo espetáculo, tudo circo. O estado estava cansado de ser regido pelo mesmo. Precisava cair na esparrela da novidade reacionariamente empanada. Olhando as opções na TV, escolheram um dançarino. O palco estava pronto. Bastava agora fazer a passagem ao ato.

Daí veio o programa inevitável e previsivelmente repetido. Uma série monótona de escândalos de contratos nebulosos e incompetências assumidas. Perdido, o apresentador convocava as eminências pardas por detrás das cortinas. O espectador, então, se revolta. Vocês não sabiam que seria assim? Responde ainda entre risos nervosos o dono do picadeiro.

Mas a pandemia ocorreu e aprofundou-se o cretinismo. Contudo, já era o bastante. Mesmo a indústria de perversidades tem seus limites. Está na hora de desmontar a pantomima. Sobra, com isso, o real, e nele uma multidão de pessoas a morrer às portas dos hospitais sem atendimento médico, para depois serem enterradas em valas comuns enquanto o dinheiro que deveria salvá-las vai para respiradores falsos e para o bolso de donos de casas de vinho.

Sim, foi um terrível show de horrores financiado com dinheiro público, e que agora parece ter sido interrompido. Porém, uma outra temporada ameaça surgir. Continuará? Seu destino depende da desalienação do respeitável público.


Imagem - https://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2020/04/22/am-sem-respirador-paciente-usa-ventilacao-improvisada-em-unidade-de-saude.htm