AFIN - Teatro Maquínico em o filosofastro

05/10/2020

A Associação Filosofia Itinerante (AFIN), cujo trabalho é sem fins lucrativos, criada em 2001, é composta de vários vetores produtores de afetos e cognições como universos incorporais, de acordo com os ensinamentos do psiquiatra-filósofo, Félix Guattari. Seu objetivo ontológico é criar novas formais de ver, ouvir, sentir e pensar que possam fundamentar a democracia.

Para materializar essas expressões e conteúdos, sua constituição se movimenta pelos devires dos vetores teatrosófico, kinemasófico, esquizo-som, literatura-esquiza, bibliosofia, afrosofia, fotosofia,..construindo uma estética-cognitiva-ética-comunalidade. Suas enunciações-constitutivas são encadeadas pelas enunciações de vários filósofos e filósofas como os estoicos, Spinoza, Maquiavel, Nietzsche, Marx, Freud, Bergson, Foucault, Hannah Arendt,Toni Negri, Deleuze, Bárbara Cassin, Félix Guattari, Simone Beauvoir, etc.

A AFIN, como devir-comunalidade, pensa a sociedade além de sua perspectiva física-geográfica, limites, encadeando fluxos-mutantes e quantas-desterritorializantes como modus de ser continuamente desterritorializado. O homem se ultrapassando, nos desígnios de Nietzsche. Produção de afetos-cognitivos-alegres estimuladores do aumento potência de agir própria do ser livre que pensa mais a vida do que a morte, como mostra o filósofo Spinoza. Produzir afetos-estéticos-cognitivos-éticos em composição com a comunalidade. Principalmente, com os habitantes das chamadas periferias. Daí, seu caráter Populus Ativo Educação Estética. O periférico como corpus-distante, o menos sobrecodificado pela semiótica dominante-paranoica.

É nesse encadeamento-agenciamento-político. que todos os membros da AFIN são educadores participantes-ativos dos seus devires-construtivos. Um ator uma atriz, não precisa se preocupar se tem ou não talento teatral. Simplesmente, tem. Participa concretamente de uma encenação, visto que o público é o alvo-educacional.

A encenação teatral, O Filosofastro, do Teatro Maquínico da Associação Filosofia Itinerante (AFIN), representa a práxis e a poiesis do ano de 2020, visto que todos anos o Teatro Maquínico encena uma ou duas peças. Já são mais de 30 encenações. A peça escrita e encenada por Marcos Jose, e interpretada pelo ator-educador, Alci Mdureira, teve sua encenação no mês de fevereiro. Ela seguiria o devir-populus do tema Se Você Não Vai ao Teatro, o Teatro Vai ao Seu Encontro. Porém, a Covid 19, impediu o teatro-corpo a corpo. O que levou O Filosofastro à comunicação-virtual. Uma forma negadora do teatro real, mas que serve como mostragem-ilusória, diria o filósofo Jean Baudrillard.

O ator-educador, Alci Madureiro, também conhecido pelo nome populus, Cafuzo, interprete do Filosofastro é um genuíno afinado (membro da AFIN).É filósofo, bonequeiro, educador da zona-indígena, fotosófico, estudioso das religiões-afros e outras expressões estéticas mais.

Encadeadores de afetos-cognitivos-teatrais:

Marcos José: texto e encenação.

Alci Madureira: Interpretação.

Filmagem: Ana Cristina Nogueira (Meu Bichinho).

Aplicação de elementos-virtuais: Tauená-Pixuto Lima.

Contra-Regra: Miguel Oliveira.

Viralização: Lucicleia Lopes.

Texto originalmente publicado no blog Afinsophia, que pode ser acessado aqui: 

https://afinsophia.org/2020/10/03/o-filosofastro-encenacao-do-teatro-maquinico-da-associacao-filosofia-itinerante-afin/