A ditadura na democracia, por Victor Leandro

01/02/2021

Se há uma lição a ser tirada do momento Bolsonaro, é que, fora dos interesses dos políticos, não há limites para as ações presidenciais.

É o que se depreende de suas ações, que jogaram a constituição federal na lata do lixo desde o começo, com agressões sistemáticas a opositores e à imprensa, declarações belicosas contra chefes de Estado, omissão deliberada na saúde, defesa de aglomerações e sabotagem da vacina, negação e escárnio da morte do povo.

Aos olhos do parlamento, nada disso é importante, porque não há, segundo eles, ambiente para o seu impedimento. Mas o que seria isso? Nada mais que a disposição das elites em mudar a direção das coisas.

E assim, ele segue sua política mortífera, sem se importar com o que seja a lei. Além do mais, tem o voto das urnas que o protege. Foi legitimamente eleito, é o que dizem. Nada pode tirá-lo daí, salvo o humor de um ou dos milhares de congressistas e empresários.

Mas contra isso, liberem-se os cargos e os bilhões.

Na ordem burguesa, ditadura é o nome oculto da democracia.


Imagem - https://oglobo.globo.com/brasil/na-democracia-so-ha-um-norte-da-constituicao-diz-bolsonaro-em-discurso-no-congresso-1-23214649