Cartas a Anna

Há alguns dias, enquanto caminhava pela Liberdade, vi uma gata de rua com três filhotes; deviam ter sido paridos ali, há poucas horas, naquela caixa de papelão. Havia alguns grãos de ração jogados como que por pena para que a gata-mãe não morresse de fome ou de fraqueza, talvez por algum passante pseudo-comovido ou algum morador das redondezas, ou...

Quando me olho no grande espelho oval da sala, vejo a ti, Anna. Sempre. Mesmo que não tenhamos nos visto há tantos anos. Não sei das linhas do teu rosto mais, o tamanho do teu cabelo ou o quanto mudou desde que nos vimos naquele dia quente em frente a tua casa. Tu estavas com o cabelo ruivo e curto,...

As cartas que compõem Cartas a Anna foram encontradas e recolhidas no apartamento de Lúcia de Oliveira*, em São Paulo, alguns dias após seu suicídio, em abril de 2020. Trata-se de escritos a uma jovem chamada Anna, sobre a qual não possuímos mais informações além das que nos aparecem nas epístolas. Ao leitor da segunda década do século...